segunda-feira, 22 de junho de 2015

PONTE LAGUNA E PONTE ITAPAIÚNA, NO RIO PINHEIROS, SÃO PAULO

Descobriram a periferia da Zona Sul!

A zona sul está ganhando mais um complexo viário para desafogar o trânsito que ocorre na região da Vila Andrade que desembocada atualmente na Ponte João Dias. Ocorre uma expansão imobiliária intensa nesta localidade entre o Parque Burl Marx, na antiga Chácara Tangará e a antiga Estrada do Morumbi, que até pouco tempo era a pacata Rua Itapaiúna. 

 PONTE DA JOÃO DIAS-MARGINAL DÉCADA DE 1960

ITAPAIÚNA-PANAMBI / DÉCADA DE 1960

Houve primeiramente uma desenfreada corrida para a construção excessiva de prédios residenciais de alto custo nesta localidade, inclusive com perda também excessiva de matas nativas, sem a compensação de vegetação na zona sul, pois a legislação vigente tem o disparate de aceitar que as empreiteiras que implantam seus empreendimentos imobiliários façam a compensação em quaisquer localidades, não necessariamente na região devastada!


As ruas que convergem para estes grandes condomínios são acessadas por vias estreitas que não foram alargadas, onde um plano diretor foi abortado, pois o mesmo era caduco na sua essência anterior, para receberem um contingente elevado de pessoas que se deslocaram para residir na região, onde a avenida principal é uma “rua” estreita onde circula uma lata demanda de veículos, e que se chama Avenida Giovanni Gronchi. Somente depois da cidade expandida para as periferias ousou-se aprovar um novo plano diretor da cidade de São Paulo.






Paralela a esta avenida está a Marginal Pinheiros onde se constroem atualmente a Ponte Laguna, que recebe este nome porque vai desembocar do lado oposto do Rio Pinheiros, na Rua Laguna, em Santo Amaro, onde haverá algumas desapropriações como ocorrida do lado da Itapaiúna. 

A Ponte Laguna terá 365 metros de extensão que juntamente com parte viária de acesso recebeu investimento na ordem de 500 milhões de reais coordenada pela Infraestrutura Urbana e Obras, sujeito a reajustes no andamento da obra. O sentido de acesso será do lado da Granja Julieta para a região da Vila Andrade, onde a entrada da ponte ocorrerá na esquina da Rua Alceu Maynard Araújo com Luiz Seráphico Júnior. Nisto tudo será ainda completado pela extensão da Avenida Chucri Zaidan até a Avenida João Dias.


A Ponte Itapaiúna receberá o trafego do sentido oposto, do lado do bairro Penhinha, um dos mais antigos bairros depois da Ponte João Dias, para o lado de Santo Amaro. Haverá desapropriações locais para receber aproximadamente sete (7,0) quilômetros de vias e túneis de acesso.






Descobriram Santo Amaro como pólo de expansão imobiliária, mas sem os ajustes necessários, permaneceram as mesmas estruturas de vias onde circularam as carroças de nossos avôs!




Se há algo inverídico na crônica, aceita-se a crítica, desde que comprovada, e se há algo a completar que seja feito para que um dia tenhamos um registro fiel aos fatos.

2 comentários:

Andre Chun disse...

Parabens Fatorelli. Seus textos sao excelentes.

E.Martins disse...

Essa foto da antiga ponte João Dias é incrível!