sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

ÍNDICE: As Indústrias (antigas) de Santo Amaro, São Paulo/SP

Anteriormente ao grande "boom" industrial da região do ABC, região da grande São Paulo tornar-se o grande centro industrial, Santo Amaro recebeu o maior contingente de empresas nacionais e multinacionais do Brasil. Assim, o grande contingente de operários vindos do interior de São Paulo, que possuia um contingente de mão de obra que estava ociosa pela queda de produção das lavouras de café e vários outros locais do Brasil, se fixou na região, tendo sido a partir da década de 1940/50 o local de maior índice de crescimento migratório no Estado de São Paulo.

Segue abaixo links relativos a essa história industrial que se expandiu e foi desarticulada em um pouco mais de meio século depois. 

Indústria de Chocolates Lacta S.A.

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2020/07/industria-de-chocolates-lacta-sa.html

LABORTERÁPICA: FIM DE MAIS UM CAPÍTULO EM SANTO AMARO/SP

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2012/08/laboterapica-sa-fim-de-mais-um-capitulo.html

SEMP Rádio e Televisão: FINAL DE UM MARCO INDUSTRIAL EM SANTO AMARO/SÃO PAULO

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2015/03/semp-radio-e-televisao-final-de-um.html

As Indústrias Villares, o Piso da Fábrica, a Cidade de São Paulo e Santo Amaro

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2015/05/as-industrias-villares-o-piso-da_4.html

João Dias, em Santo Amaro e o Bairro Jardim São Luiz /SP

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2015/04/joao-dias-em-santo-amaro-e-o-bairro.html (Crônica sobre o Curtume Dias e a Fábrica York)

A EMPRESA AUTO ASBESTOS S.A. E AS BATERIAS DUREX: DO BIXIGA, PARA O BROOKLIN E SOROCABA

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2020/07/a-empresa-auto-asbestos-sa-e-as.html

Pirâmides Brasília S.A. Indústria e Comércio, no Bairro Jardim São Luiz, São Paulo/SP

https://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2021/02/piramides-brasilia-sa-industria-e.html

João Brito de Araújo e a Pirâmides Brasília S.A. Indústria e Comércio no Jardim São Luiz/SP

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2017/01/joao-brito-de-araujo-e-piramides.html

AS EMPRESAS WALITA E WAPSA: Pioneirismo no Brasil no “Parque Industrial” de Santo Amaro/SP

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2020/05/as-empresas-walita-e-wapsa-pioneirismo.html

Não esqueça da minha “Dorel”: História da Caloi de brasileira à canadense!!!

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2020/06/nao-esqueca-da-minha-dorel-historia-da.html

AS INDÚSTRIAS E A DESINDUSTRIALIZAÇÃO EM SANTO AMARO

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2010/11/as-industrias-e-desendustrializacao-em.html

A FÁBRICA DE FERRO NO MORRO DA BARRA DE SANTO AMARO – SÉCULO XVII – UMA INDAGAÇÃO

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2012/02/fabrica-de-ferro-no-morro-da-barra-de.html

A Saga Grassmann (Graßmann): Pioneirismo em Santo Amaro / São Paulo

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2017/02/a-saga-grassmann-gramann-pioneirismo-em.html

Fábrica de Papel Fotográfico Kodak-Wessel em Santo Amaro/SP

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2012/01/fabrica-de-papel-fotografico-kodak.html 

Alexandre Eder & Cia - Frigorífico Santo Amaro

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2011/05/alexandre-eder-cia-frigorifico-santo.html

A Indústria de brinquedos "Balila" no Bairro Jardim São Luiz/SP

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2021/06/a-industria-de-brinquedos-balila-no.html


A Fábrica de Bicicletas Monark S. A. em Chácara Santo Antônio, região de Santo Amaro.

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2021/09/a-fabrica-de-bicicletas-monark-s-em.html

A Fundição Electroalloy Indústria e Comércio de Aço Ltda, no bairro Jardim São Luiz/SP

https://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2021/09/a-fundicao-electroalloy-industria-e.html


INDUSTRIALIZAÇÃO NO BRASIL

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2012/10/industrializacao-no-brasil.html

Zona Carvoeira de Santo Amaro

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2012/11/zona-carvoeira-de-santo-amaro.html

Carvão Vegetal: Santo Amaro fornecedor da Cidade de São Paulo

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2012/11/carvao-vegetal-santo-amaro-fornecedor.html

A FÁBRICA DE DOCES BELA VISTA EM SÃO PAULO: PORTUGUESES DE CADIMA

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2021/01/a-fabrica-de-doces-bela-vista-em-sao.html

A Indústria Farmacêutica Squibb em Santo Amaro/SP e a Penicilina

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2022/04/a-industria-farmaceutica-squibb-em.html

Rolamentos Schaeffler do Brasil Ltda, em Santo Amaro-SP / "INA- Indústria de Rolamentos de Agulha"

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2021/12/rolamentos-schaeffler-do-brasil-ltda-em.html

A Metal Leve e outras Indústrias em Santo Amaro/SP: Uma Experiência de Vida!

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2021/10/a-metal-leve-e-outras-industrias-em.html


Pirâmides Brasília S.A. Indústria e Comércio, no Bairro Jardim São Luiz, São Paulo/SP

Entre as empresas de porte das indústrias instaladas em São Paulo estava a Pirâmides Brasília S.A. Indústria e Comércio, fundada por Sami Koudsi, em 22 de julho de 1966, em galpões situados à Avenida Maria Coelho Aguiar, número 573, no bairro Jardim São Luiz.

Sami Koudsi, nasceu em Mosul, Ninawa, Iraque, em 18 de setembro de 1927. Era filho de Ibrahim Aziz Malki e Sara Aziz Gabriel. Teve as irmãs Nohad Malki e Fawzia Aziz Al Kass Issahak, casada com Fariss Kalil Al Kass Issahak. 

O fundador da Pirâmides Brasília veio para o Brasil em 1951, com 24 anos, em navio com imigrantes que resolveram cruzar o Atlântico em direção à América. 

Sami Koudsi foi um dos responsáveis na implementação da Câmara Iraquiana de Comércio, tornando-se seu presidente. As relações diplomáticas comerciais entre Brasil e Iraque, na década de 1970, estavam voltadas ao interesse do Brasil pelo petróleo iraquiano. Para igualar a balança comercial, o Brasil exportou automóveis do modelo Passat da Volkswagen, além de encomendas da Avibrás (no ramo de aviação) e serviços de infraestrutura no Iraque, através de construções da empreiteira Mendes Junior.

No bairro Jardim São Luiz, a Pirâmides Brasília teve sua expansão voltada para o ramo de espuma de colchões, ampliando, mais tarde sua produção para artigos plásticos.

A Pirâmides Brasília tinha um corpo técnico formado por Sami Koudsi, seu diretor-presidente, por Antônio Campelo Haddad, diretor superintendente e Arnaldo Mendes de Oliveira, diretor comercial, que fazia a empresa ter participação forte no mercado interno e externo. 

Com o tempo, foi duplicada a capacidade instalada para a produção de espuma, e a empresa passou a situar-se entre as maiores produtoras do setor na América Latina. Juntamente com a The Dow Chemical Company fundaram o empreendimento Propenasa, Produtos petroquímicos Nacionais S.A. Em 1972, a Pirâmides Brasília S.A. começou a produzir derivados de petróleo, como o polipropileno-glicol, matéria-prima que na época era importada, mas que era fundamental para a fabricação de espumas rígidas e flexíveis.


A Pirâmides Brasília se tornou o Grupo PiraSpuma, investindo em outros segmentos, como por exemplo, o automobilístico, que estava em grande expansão no Brasil. Criou-se a MC Cord Pirâmides S.A. Produtos Plásticos, que com modernos equipamentos estava preparada para produzir painéis, descansa braços e assentos de espuma moldada. Assim a empresa supria as demandas das grandes montadoras automobilísticas instaladas no Brasil.

Sami Koudsi Edição de 6-12 de outubro de 1973. Jornal Brooklin (Grupo Sul News).

Em 1973 Sami Koudsi recebeu o título de “Industrial do Ano” para o empresário, prêmio concedido pelo Centro e Federação das Indústrias do Estado de São Paulo[1].

Juntamente com sua esposa, Maria Campello Haddad Koudsi fez a Fundação Sami Koudsi, instituída em 14 de outubro de 1974, com endereço de escritório à Avenida Faria Lima, 1815, em Pinheiros.

As dificuldades diante da “década perdida” de 1980 e a rigidez do mercado brasileiro tiveram consequências drásticas na empresa, obrigando-a a Pirâmides Brasília a fechar suas portas, terminando um dos ciclos das indústrias na região.

Sami Koudsi faleceu em São Paulo, em 17 de janeiro de 1990.

 



[1] Matéria do Jornal do Brooklin, de 6 a 12 de outubro de 1973 e de 1 a 7 de dezembro de 1973.


sábado, 20 de fevereiro de 2021

Alfonso Martín Escudero e a Chácara Alfomares em Santo Amaro, São Paulo

Este é um dos casos mais emblemáticos da história de Santo Amaro.

Há algumas interrogações nessa estrutura, que remonta à guerra civil espanhola, pois Alfonso Martín Escudero foi condecorado com a Ordem da Grande Cruz, a maior honraria do governo espanhol.


Alfonso Martín Escudero nasceu em 10 de junho de 1901 em Brihuega (Guadalajara). Empregou-se numa loja de tecidos em Vigo, onde depois abriu uma empresa do ramo com um amigo em La Coruña. Com talento natural para o comércio, manteve relações com grandes fabricantes de tecidos da Catalunha, que o encarregaram da venda exclusiva de grandes lotes de tecidos muito procurados no mercado. 

Edificou empresas de porte considerável na Espanha, como a Alfomelo Iron Mining Company para explorar uma concessão mineira em Lubrin (Almería), em conjunto com uma subsidiária transportadora de minas que escoava o minério extraído em Lubrin, exportando-o para países europeus que tinham grande necessidade de minério de ferro. Na época, ele também adquiriu a empresa C.U.P.A., que possuía uma grande extensão de terreno no Paseo de la Castellana em Madrid. Esses minérios de grande importância para a indústria em geral, também abasteceram a indústria bélica da Segunda Guerra Mundial.  

Seu espírito empreendedor o levou a cruzar o Atlântico abrindo negócios em Cuba. Quando pressentiu que a ilha passaria por grandes transformações, mudou-se para o Brasil, onde, após várias transações comerciais, adquiriu ações de um banco em São Paulo.

Chegou ao Brasil com o equivalente a 2 milhões de dólares em 1954, portanto já com 53 anos de idade. Há uma referência de que Escudero fosse casado na Espanha com Lucia Lavandera Spina, e um detalhe chama atenção: eram casados em separação de bens. Parece que quando chegou ao Brasil, em agosto de 1954, ele já estava viúvo e sem filhos.

A gestão do banco Casa Bancária Belembolia, fundada em 1939 por italianos, com apenas uma agência em São Paulo, trouxe-lhe um conhecimento de primeira mão da situação econômica e comercial do país.  Desse início resultou em 1957 o Banco Alfomares, com a matriz situada na Rua da Quitanda, 123.

 


Criou uma fundação em 27 de junho de 1957, em Madri, que leva seu nome.  Em 1968 o Banco Alfomares possuía 42 agências sendo vendido depois para o Banco do Paraná por 18 milhões de cruzeiros (moeda à época), que seria em torno de 6 milhões de dólares. Assim, adquire toda riqueza e torna-se proprietário de alguns terrenos na Avenida Paulista.  

Consta que, para o alargamento da Avenida Paulista, ele doou 119 m2 em 1972, como muitos proprietários também, variando a metragem doada por cada um. Há registro de uma empresa, Martinero Comércio LTDA, situada à Avenida Angélica, 2364, que era também seu domicílio.  

Alfomares recebeu esse nome devido ao seu último proprietário ALFOnso MARtín EScudero.

Bem antes disso a área pertenceu ao doutor Paulo de Souza Queiroz, político influente no governo estadual e federal no século 19 e início do 20. De 1885 até o final do século havia requerentes de terras, sendo o auge de se distribuir "datas" (lotes de terrenos) pela Villa de Santo Amaro, que de 1832 a 1935, manteve-se administrativamente independente da cidade de São Paulo. 

Só a título de curiosidade, em Ata de 1891 (Revista do Arquivo Municipal, nº63, p.163) há pedido no Alto da Boa Vista a saber:

 “Um requerimento de Gabriel Vieira da Silva e João Antonio Pedroso, requerendo títulos definitivos de duas datas que lhes foram concedidas, sendo uma cada um à rua da Liberdade a título gratuito em terreno municipal, para poderem transferir a terceiros e, com o produto desta, comprarem então outras duas em terreno municipal e mais perto da Villa. Despacho: A Intendência resolveu indeferir o requerimento visto os suplicantes não terem cumprido com a praxe estabelecida pela mesma. Sala da Sessões 3 de julho de 1891. Padre Luiz Bittencourt.” 

Outro pedido de “datas” (lotes de terrenos) (Revista do Arquivo Municipal, nº62, p.259): “Eugenio Bueno, pedindo nove datas de terreno na rua General Ozorio sob números 107, 108, 109, 110, 111, 112, 113, 114 e 115 bem como as datas do Campo das Perdizes sob números, 37, 38, 39, 40, 41. Despacho: Ao alinhador para informar. Santo Amaro, 12 de maio de 1891. Padre Luiz Bittencourt.”

Isso prova que as terras da Villa de Santo Amaro estavam disponíveis a quem quisesse se estabelecer, com nenhum custo pelas terras ou a um custo baixíssimo. Um proprietário provável do que viria a ser conhecida por Alfomares, foi  Charles Emmett Waddell, nascido no Texas, EUA, em 1897, que fazia parte, no Brasil, a partir da década 1940, da diretoria da “Reprensagem e Armazenagem de Algodão S.A.” tornando-se um dos integrantes do comércio de algodão brasileiro, Membro da Câmara Americana de Comércio (São Paulo) e da União Cultural Brasil-Estados Unidos. Em 1936, foi um dos grandes acionistas da Anderson Clayton & Co, além de investimentos no setor algodoeiro do Nordeste do Brasil. 

Consta que o local foi anteriormente chamado de Chácara Narcisa, em homenagem a Narcisa Andrada de Souza Queiroz, esposa de Paulo de Souza Queiroz, uma gleba talvez de 5 alqueires, onde estavam os 63 mil metros da Alfomares, algo em torno de 3 alqueires.



Residência da propriedade

Tanto Charles Emmett Waddell, quanto Alfonso Martín Escudero se conheceram bem antes, pelas relações comerciais de ambos, sendo o primeiro um dos integrantes de exportação de algodão brasileiro e o segundo um dos grandes fornecedores de tecido na Espanha. Não se descarta a possibilidade de Charles Emmett Waddell ter adquirido a Chácara do Francês, no caso de Júlio Contier, e depois ter encontrado um comprador em potencial, Alfonso Martín Escudero.

Alfonso Martín Escudero, já com 88 anos é assassinado em 1º de março de 1990 em seu escritório na Paulista, e não fica nenhum rastro do fato. (Estadão 30 de agosto de 1997- missa). 

Consta no documento de registro do imóvel do Jardim Alfomares, com memorial datado de 06 de fevereiro de 2004, que a área possui 63.687,29 m2, possuía um palacete para residência, uma casa e outras benfeitorias, situados à Rua Visconde de Porto Seguro, 293 (antiga Estrada de Aracassu), estes lançados pela Prefeitura do Município de São Paulo, pela Rua da Fraternidade nº 803, com área total construída de 1528,00 m2, e que a inventariante é Blanca Antonia Martín Escudero, e que na data do documento (26 de junho de 1985) era ainda solteira, com residência em Madri, Espanha, em Passo del Pintor Rosales, nº 16.  Blanca Trindad Martin Escudero casou-se com José Martin Zamorano em Madrid, com comunhão de bens em 14 de setembro de 1987.  Em 1989, Alfonso Martín Escudero fez seu testamento aberto, deixando todos os seus bens para a "Fundação Benéfico Docente Alfonso Martin Escudero" então recorrida no STJ pela filha adotiva Blanca.  Seus bens foram arrolados e foi pedido pela Fundação que fossem a ela adjudicados já que pelo testamento esta seria a herdeira universal. Hoje é uma área importante para todos santamarenses que lutam pela preservação da fauna e flora de Alfomares!


Obs:

O exposto é apenas um fato histórico e está sujeito a revisão sem prévio aviso. 



Vide o link:

Por que do nome Chácara Narcisa, atual Alfomares, no Alto da Boa Vista, em Santo Amaro/São Paulo?

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2020/12/por-que-do-nome-chacara-narcisa-atual.html

ALFOnso MARtín EScudero=ALFOMARES

https://carlosfatorelli27013.blogspot.com/2020/12/alfonso-martin-escuderoalfomares.html 



Referências jornalísticas:

Correio Paulistano, 29 de abril de 1941

A Razão, 06 de outubro de 1936

O Estado de São Paulo, 12 de outubro de 1973

O Estado de São Paulo, 10 de junho de 1997

O Estado de São Paulo, 30 de agosto de 1997

Jornal do Brasil, 22 de maio de 1988

Correio da Manhã, 20 de outubro de 1963



Outras referências: 

BROTERO, Frederico de Barros. Descendência do Barões de Souza Queiroz. Revista de Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, p. 441-484

GUERRA, Juvencio e Jurandyr. ALMANACK COMMEMORATIVO DO 1º CENTENARIO DO MUNICÍPIO DE SANTO AMARO. São Paulo: Estab. Graphico Rosolillo, 1932

Registro de Imóveis, matrícula 171.932

Fotos: Fundação Benéfico Docente Alfonso Martín Escudero; outras em pesquisa.